Dia Mundial do Autismo
Maternidade Atípica

Sinais e Características do Transtorno do Espectro Autista

Hoje ouvimos falar muito no TEA (Transtorno do Espectro Autista), mas será que você sabe realmente quais são suas principais características?   

Os pais devem sempre estarem atentos ao desenvolvimento de seu filho, anotando cada etapa de seu desenvolvimento motor e social a fim de se manter um registro.

O TEA envolve uma dificuldade grande e duradoura em interagir e se comunicar com os outros, além da pressão ter um leque restrito e repetitivo de interesses e atividades.

Normalmente a criança do espectro, repete ações, como por exemplo: enfileirar objetos, empilhar, estalar os dedos. São estas ações duradouras e que se repetem sem uma determinada função.

O espectro abrange desde um prejuízo leve até um grave; além de variar qual área é mais prejudicada. Por exemplo, uma pessoa pode ter sua capacidade de comunicação muito prejudicada, mas poucas comportamento repetitivo ou o contrário.

Por causa das dificuldades de comunicação e compreensão das estimulações do ambiente, pessoas do espectro autista às vezes apresentam déficits intelectuais que também podem ir do mais leve ao mais severo.

Os sintomas do Transtorno do Espectro Autista

Os sintomas costumam surgir desde cedo, mas o diagnóstico geralmente é feito após os 18 meses de idade. Quanto mais cedo se forma o diagnóstico e quanto antes iniciarem as intervenções, mais chances a crianças terá de superar as suas dificuldades.

Alguns comportamentos podem ser observado. Se a criança com 1 (um) ano de idade ou mais não reage ao ser chamada pelo nome, evita contato visual, se isola socialmente ou realiza comportamentos muito repetitivos e fixos fique atenta. É recomendável que seja feito um diagnóstico por um profissional, pois esses podem ser sinais de autismo.

O tratamento do Transtorno do Espectro Autista

O tratamento do autismo pode envolver o trabalho de vários profissionais que estimulam as maiores áreas de dificuldades da pessoa (criança). Profissionais esses que podem considerar por exemplo: psicólogos, neuropediatras e fonoaudiólogos.

Um dos tratamentos mais eficazes é a intervenção comportamental precoce e intensiva. Tanto os fatores genéticos quanto os fatores ambientais têm um papel importante no desenvolvimento do autismo. 

De 5 a 10% das causas de autismo podem ser atribuídos aos fatores genéticos, mas eventos durante e depois da gravidez, como doenças e exposição à metais pesados e materiais tóxicos, podem contribuir para o desenvolvimento do quadro de autismo.

Também existem evidências de que um sistema deficiente de neurônios espelhos no cérebro podem estar associados. Indivíduos que têm autismo, certamente também apresentam alterações na região cortical do cérebro, que é a região do nosso cérebro responsável pela fala e pela sociabilidade.

O Modelo Denver como excelente ferramenta no tratamento do TEA

Hoje, após muitas pesquisas científicas, foi comprovado que o Modelo Denver tem mostrado características de desenvolvimento eficazes e de redução intensa dos sintomas de autismo nas crianças. O Modelo Denver é hoje considerado por muitos profissionais, o modelo que apresenta as melhores respostas e resultados entre os modelos disponíveis mundialmente.

O Modelo Precoce de Denver centraliza o tratamento no coração dos sintomas, ou seja, a reciprocidade social, o engajamento social, o interesse social. 

O primeiro objetivo é trazer a criança de volta para o meio social, fazer com que ela imite mais e interaja mais com outras pessoas. Fazer com que as crianças usem a própria motivação que elas tem por objetos e pessoas para o aprendizado de novas habilidades. Isso deve ser feito em todas as esferas do desenvolvimento, de comunicação à motricidade fina, passando por imitação, jogo competência sociais, habilidade cognitivas e habilidades de independência social, pessoal e comportamentos adaptativos. 

A base de todo aprendizado Denver é o jogo e a brincadeira e não um jogo controlado que acontece somente em um ambiente estruturado, mas um jogo no chão, em que fazemos as rotinas sensório-sociais. Este método é baseado nos princípio ABA (Análise Aplicada do Comportamento).

O ambiente da sala de terapia Denver é como num quarto de criança, pois pode feito na própria casa. A criança é avaliada minuciosamente. A partir daí são elaborados os objetivos a serem trabalhados de forma intensiva, de 15 a 20 horas por semana, trabalhados por uma Assistente Terapêutica, especializada, devidamente treinada e supervisionada periodicamente.

Para que tenhamos resultados positivos, é preciso ter:

  • Gestão da atenção da criança
  • Estrutura de ensino
  • Otimização do nível de alerta da criança 
  • Otimização dos comportamentos inadequados
  • Incitação da reciprocidade
  • Afeto positivo
  • Estrutura de atividade
  • Otimização da linguagem do adulto para poder favorecer o aprendizado da criança

A detecção e a intervenção precoce podem ter um impacto vitalício em crianças com autismo.

Conte-nos a sua experiência e tire dúvidas através dos comentários abaixo.

Simone é mãe da Giovana e Giulia. Fonoaudióloga (desde 1990) e psicopedagoga (2004). Experiência de 30 anos na área da educação. Formação no tratamento neuroevolutivo Bobath, formação avançada na Ciência ABA e Abordagem Denver. Atuação em distúrbios neuromotores, distúrbios da motricidade oral, da comunicação (oral e escrita) e do desenvolvimento (TEA e TDHA). Além de ser Membro da equipe do Centro de Apoio Terapêutico.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *