Dicas

Quais erros evitar ao comprar roupas de bebê

Por muitas vezes, seja pela empolgação, inexperiência ou ansiedade, compramos roupas além da conta ou deixamos de comprar itens essenciais. Quando são dois os mais bebês esse risco multiplica! 

Com esse texto, queremos trazer algumas sugestões que lhe ajudarão na montagem do guarda roupas do seu bebê, evitando problemas.

A primeira dica, e a que considero essencial é fazer uma lista. Isso te ajudará a fazer uma compra consciente e com melhor controle de gastos, principalmente quando se tem um orçamento mais apertado.

E fica aqui um apelo super do bem! Curta seu momento e viva tudo que tem direito. Não exija tanto de você. Acredite, desde o momento em que descobrimos a gestação, parece que liga o interruptor da culpa dentro de nós. 

Evite comprar roupas no início da gestação

Não existe uma regra definida e sendo bem sincera, mesmo se tivesse, acredito que não seria seguida pela maioria de nós. Porém vale aqui uma recomendação: não se jogue na compra no início da gestação, mais precisamente no primeiro trimestre.

Se decidir comprar nessa primeira fase, recomendamos comprar itens neutros e peças básicas e que serão muito usados, como por exemplo bodies, meias e paninho de boca. 

Comprar com base no sexo do bebê

O ideal é ter certeza do sexo do bebê e de preferência chegar pelo menos no segundo trimestre da gestação, isso porque métodos para identificação do sexo do bebê podem falhar. 

Comprar roupas muito específicas para meninos ou meninas, podem gerar uma expectativa grande e caso o sexo não confirme. Para evitar frustração é melhor se resguardar e esperar a confirmação.

Orçamento e pesquisa

Pesquisar é a chave do negócio, tanto para adequar orçamento e buscar os melhores preços, quanto para consultar tendências e novidades. 

Para isso a internet é uma ótima aliada, já que permite comparar preços e qualidade dos produtos com praticidade. Um mesmo produto pode ter grandes variações de valor, condições de entrega e pagamento.

Comprar online é ótima opção e caso você não goste do produto ou se arrependa da compra, poderá solicitar troca ou reembolso com comodidade. Nesse caso, fique de olho nos prazos.

Atenção com as quantidades

Muitas listas sugerem em média 4 a 6 peças de cada tamanho, ou seja, 6 bodies manga curta tamanho P, por exemplo.

Mas é importante pensar como será sua rotina diária, em relação a lavagem de roupa, secagem e as condições de moradia. Quem mora em apartamento por exemplo, pode ter mais dificuldade com a secagem das peças durante o inverno e isso poderá ser um problema.

As trocas de roupas serão frequentes e isso precisa ser considerado. Seja por mudança na temperatura, vazamento de fralda ou aquele leite regurgitado após a mamada.

Inicialmente compre poucas peças RN e observe a curva de crescimento do seu bebê durante a gestação, para saber se seu filho nascerá grande ou pequeno.

Se forem gêmeos ou mais, a probabilidade de serem bebês pequenos, com nascimento prematuro é alta e nessas circunstâncias, as roupinhas RN serão muito usadas. 

Faço aqui um comentário pessoal. Tenho gêmeas e minhas filhas usaram peças RN por muito tempo. As peças mais usadas foram bodies, calças mijão (culote) vira pé. 

Uma coisa é certa…

…Aposte em peças CORINGA 

  • Bodies, camisetas e macacões

Pode apostar nesses itens, pois serão muito usados, tanto sozinhos, quanto compondo um look. Por isso caso queira comprar mais roupas, essas serão ótimas escolhas como opções de peças extras.

 

Importante observar o tipo de fechamento do body e camisetas. Prefira as opções mais práticas de vestir e no caso dos macacões, o ideal é que tenha abertura embaixo, que facilite a troca de fraldas, sem que precise tirar toda a roupa do bebê

  • Extensor de body

Parece um simples pedaço de pano, com botõezinhos, mas são muito úteis, principalmente para os bebês com ritmo de crescimento acelerado. O extensor, como o nome indica, alonga o body em até dois tamanhos, ou seja, um body tamanho P, pode ser aumentado para os tamanhos M e G. 

Por ficar na parte de baixo da peça, ficará escondido e não precisa ser da mesma cor do body em si.

  • Roupas que acompanham o crescimento

Algumas peças podem ser usadas por mais tempo, pois podem ser adaptadas.

Um exemplo disso são os vestidos soltinhos para as meninas, que podem ser usados como blusas com calça legging.

Já para os meninos, as camisas de botões podem ser usadas abertas compondo o look com camiseta por baixo.

Calças mijão (culote) vira pé, para ambos os sexos é item básico e que pode ser usado por bastante tempo. Inicialmente fechado cobrindo o pé do bebê e conforme o bebê cresça, pode ser usado, aberto, como calça comum com meias. 

  • Pano de boca e fraldas de pano

Indispensável ter dele à mão, é importante ter uma boa quantidade, pois sujam bastante e necessitam muitas trocas. 

A dica para economizar, é comprar panos de boca mais elaborados, com bordados, por exemplo, para sair de casa e deixar as fraldas de pano simples, que tem um melhor custo menor, para serem usadas em casa. 

  • Roupas confortáveis

Bebês tem a pele super sensível, por isso opte por roupas mais confortáveis e de preferência de algodão, para evitar incômodo, lesões e alergia no bebê. Roupas justas, com muitos adereços, babados, bordados e fechamento com zíper, por exemplo, podem ser desconfortáveis para seu filho (a).

  • Prefira meias

Sapatos serão pouco usados, principalmente nos primeiros meses de vida do bebê. Ao invés disso, opte por meias. Hoje existem variados tipos de meias que imitam sapatinhos e meias sapatinho, com solado emborrachado, que além de confortáveis são super práticos. 

Roupas de sair e festa

Nos primeiros meses de vida, o bebê sairá pouco de casa, por recomendação médica e devido a imunidade. Quando sair, provavelmente será para vacinas e consultas com o pediatra. Por isso, sugerimos comprar poucas roupas para sair e de preferência deixar as peças de festa para quando tiver necessidade. 

Os bebês crescem rápido e por isso perdem roupas com facilidade. Para evitar ter peças que não serão usadas, o ideal é ter poucas peças nesse estilo e aguardar o aparecimento de ocasiões que necessitem um look mais elaborado.

Quando o bebê vai nascer? Estação do ano e localidade

É essencial pensar no período do ano em que o bebê nascerá, para comprar as roupas de acordo com o clima local e estação. 

Para o verão roupas mais leves e para o inverno peças mais quentes, por exemplo, lembrando sempre de compor com peças de meia estação, pois mesmo no verão podem ter dias fresquinhos e no inverno, dias mais quentes. Lembre-se que os bebês têm mais sensibilidade às mudanças de temperatura.

Existem regiões do país em que o clima não muda muito e talvez não faça tanta diferença. Já regiões como o Sul do Brasil, as estações são bem marcadas e essa adequação de roupas é necessária. 

Você está nessa fase deliciosa? Tem dúvidas?

Escreve nos comentários o que achou dessas dicas.

Se já montou e já teve essa experiência, conta pra gente como foi para você e compartilha dicas para ajudar outras mamães. 

Elaine Rota, mãe das gêmeas Ester e Hadassa. Jornalista, formada desde 2008 e empreendedora, especializada em gestão.