Cuidados

Pronta para o desfralde? Saiba aqui quando e como desfraldar com tranquilidade

O desfralde é um grande marco de independência e autonomia para a criança. É uma das primeiras vezes em que ela tem a oportunidade de oferecer ou negar algo ao mundo.

E é mais ou menos assim que ela se sente no processo de eliminar ou segurar as necessidades. Por isso é um momento tão significativo para seu desenvolvimento físico e também emocional.

Qual é o momento certo para iniciar o desfralde?

Para que o desfralde aconteça de maneira tranquila, sem traumas e complicações, é importante que o tempo da criança seja respeitado.

Portanto, fralda é algo que se deixa e não que se tira. Sendo assim, é observando a criança que saberemos quando ela está pronta para desfraldar.

O processo do desfralde segue três fases:

  • 1ª Fase – A criança consegue avisar que FEZ as necessidades, demonstrando que ela já tem a percepção de que fez xixi ou cocô, mas ainda sem controle sobre eles.
  • 2ª Fase – Ela consegue avisar que ESTÁ FAZENDO, demonstrando que ela já consegue perceber a passagem de suas eliminações pelo reto ou pela uretra, mas ainda não consegue reter ou segurar.
  • 3ª Fase – Por último, consegue avisar que QUER FAZER, demonstrando que ela percebe a necessidade de fazer suas eliminações e que consegue segurá-las até o momento oportuno. Nessa fase a criança está pronta para iniciar o desfralde.

Além disso, é importante observar se a criança já consegue seguir ordens simples, se consegue abaixar as calças sozinha e se consegue ficar algum tempo sentada aguardando no penico.  

Por isso, o desfralde geralmente acontece entre dois e três anos de idade, podendo se estender até os cinco anos.

O que pode acontecer se o desfralde é feito antes do tempo?

Quando o desfralde é feito antes que a criança esteja pronta, algumas consequências negativas podem ocorrer. A criança pode passar a reter o xixi ou o cocô e sofrer com infecções ou constipação. Ela pode também sofrer um trauma psicológico e isso refletir em questões emocionais como insegurança, medo, ansiedade e até problemas na fala.

Por isso, é essencial que aguardemos que a criança esteja pronta para iniciar o desfralde. Evite depositar muita ansiedade e expectativa no processo ou demasiada preocupação caso ele esteja demorando um pouco mais para acontecer.

É muito importante evitar a comparação entre as crianças e também tomar cuidando quando as escolinhas decidem desfraldar todos os alunos da turma ao mesmo tempo.

Outro cuidado, é não agredir ou punir a criança quando acontecerem os escapes. Lembre-se que eles fazem parte do desenvolvimento do controle necessário ao uso do toalete.

Algumas orientações para ajudar no desfralde

As crianças costumam se sentir mais seguras ao utilizarem penicos em relação aos adaptadores de assento sem apoio para os pés, além do que a posição das pernas no penico facilita a expulsão.

Observe a preferência da criança e faça testes com diferentes produtos sempre que possível.

Recorrer a recursos lúdicos para ajudar nesse processo também é uma ótima opção. Existem muitos livros, vídeos e até jogos sobre o assunto. De uma maneira divertida, a criança vai entrando em contato com o processo de fazer xixi e cocô, o que promove segurança.

E uma última orientação é evitar fazer o desfralde junto com outros eventos importantes da vida da criança, como nascimento de um irmão, adaptação escolar ou retirada de chupeta.

Todos esses são eventos possivelmente estressores, devendo-se dar oportunidade para que a criança passe por cada um de uma vez para que possa compreendê-los e assimilá-los.

E por aí, o desfralde está próximo ou já aconteceu? Conte pra gente como tem sido esse processo.

***Escrito por: Roberta Ertel Baierle, mãe do Davi de 2 anos e 5 meses, psicóloga desde 2007. Trabalha com atendimento presencial e online em psicoterapia para mães e consultoria para sono, rotina, desfralde, adaptação escolar e outras questões relacionadas ao universo materno infantil.

Conheça alguns produtos que podem te ajudar nesta fase de desfralde. Clique aqui.

Mãe do Davi de 2 anos e 5 meses, psicóloga desde 2007. Trabalha com atendimento presencial e online em psicoterapia para mães e consultoria para sono, rotina, desfralde, adaptação escolar e outras questões relacionadas ao universo materno infantil.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *